Cozinheiras e Cozinheiros Experimenta para você ver!

Seu desafio é criar uma receita, utilizando exclusivamente os ingredientes à sua disposição, tendo como objetivo aumentar o consumo de um ou mais ingredientes que são rejeitados por muitas crianças.

Qual é o produto final desse desafio?

O produto final deste desafio é a criação de uma receita deliciosa e irresistível justamente com os ingredientes menos aceitos pelas crianças. Mas lembre-se que esse prato deve ser muito saudável.

Um jeito de fazer

Todos nós sabemos que as crianças costumam aceitar mais facilmente alimentos que já conhecem e muitas vezes dizem que não gostam de alguma coisa que, de fato, nunca experimentaram. Também sabemos que as crianças aprendem sobre o que é gostoso e o que não é com os adultos em geral; assim, a rejeição adulta para certos alimentos ensina as crianças tanto quanto nossa preferência por outros.

Finalmente, sabemos também que, muitas vezes, esse “não gosto” infantil tem mais a ver com a aparência, ou o cheiro, às vezes até a textura do alimento, do que com o gosto em si e, nestes casos, pequenas alterações no modo de preparo ou na apresentação podem fazer uma grande diferença, assim como alguns bons argumentos ou uma brincadeira oportuna feita por algum adulto que acompanhe a refeição.

Você, como cozinheira ou cozinheiro, certamente sabe melhor do que ninguém aquilo que as crianças mais comem e o que não faz tanto sucesso assim.

Por que realizar este desafio?

O sabor dos alimentos é importante e nenhum sabor agrada a todas as pessoas. Existem, certamente, preferências alimentares, mas também é verdade que não existe um único sabor de que ninguém goste. No decorrer da vida, aprendemos do que gostar ou não e as crianças ainda estão aprendendo isso. Pequenas  –  e grandes – mudanças na forma de preparo, na apresentação e nos argumentos que usamos para convencê-las a comer o que quer que seja fazem muita, muita diferença!

O mundo é um lugar grande e interessante e tem tanta coisa que a gente pode comer, com sabores tão diversificados! Nada mais justo e generoso do que mostrar esta diversidade para quem ainda está aprendendo sobre este mundo, não é mesmo?

Você já pensou sobre isso?

  1. As crianças chegam ao mundo sem saber nada sobre a diversidade de alimentos existentes neste planeta: elas só mamam. Somos nós, adultos, que, à medida que elas crescem, vamos lhes apresentando este ou aquele alimento, desta ou daquela maneira.
  2. Comer é uma experiência dos cinco sentidos, assim, a aparência, o cheiro e até a textura dos alimentos importam tanto quanto o sabor.
  3. Ensinar qualquer coisa exige insistência e persistência. Isso também é verdade quando a gente quer apresentar – que é bem parecido com ensinar – um novo sabor!
  4. A nutricionista que visita sua escola pode te dar uma mãozinha, caso você tenha dúvidas sobre este desafio. Fale com ela e conte o que você está pensando em realizar.
  5. Preparar uma boa refeição inclui muitas coisas: selecionar bons alimentos, escolher boas alternativas de preparo, higiene, e também desperdiçar o mínimo possível de cada um deles. Muitas vezes, desperdiçamos nutrientes com técnicas inadequadas de preparo.

O QUE SERÁ AVALIADO PARA SELEÇÃO DAS MELHORES PRÁTICAS

Relatos e Reconhecimento

Para relatar seus desafios você contará com um roteiro, em forma de perguntas, que pode orientá-lo e ajudar a organizar seu texto.  Lembre-se: ao fazer seu relato, você deve ser bem generoso. Os relatos serão avaliados e os melhores serão selecionados para uma publicação e divulgação na rede municipal de ensino. Os avaliadores considerarão os critérios abaixo:

Para o Desafio:

  • Realizou o desafio e o ampliou de forma expressiva, propondo atividades e conteúdos que enriqueceram o trabalho, mas não estavam previstos na sugestão original.
  • Realizou o desafio como proposto e fez ampliações/adaptações contemplando questões específicas de sua turma/escola/comunidade.
  • Realizou o desafio estabelecendo parcerias que ampliaram o alcance de sala de aula, envolvendo outros professores/turmas ou outros profissionais da escola;
  • Realizou o desafio prevendo/incluindo atividades para que a família dos alunos e alunas participasse de forma importante;
  • Realizou o desafio prevendo/incluindo atividades que oportunizassem o contato e envolvimento com outros membros da comunidade local - comerciantes, vizinhos etc.
  • Inseriu no desafio mecanismos ou atividades avaliativas, que permitam demonstrar claramente de que forma os objetivos desejados foram alcançados e de que forma isso impacta a vida escolar.

Para o registro:

  1. Enriqueceu e ilustrou seu relato com fotografias, produtos do trabalho dos alunos e alunas, materiais adicionais, vídeos, áudios.
  2. O educador produziu, como registro, um texto que permite:
  • Acompanhar todos os momentos da realização do desafio.
  • Mostrar os valores simbólicos que fundamentaram o trabalho.
  • Mostrar como serão as atividades de continuidade, expansão ou manutenção do trabalho realizado.
  • Mostrar como tudo isso foi avaliado, as dúvidas e dificuldades que precisaram ser resolvidas.
  • Mostrar como os alunos trabalharam, o que eles aprenderam, o que isso produziu de alteração na vida escolar.