Educação Infantil O mundo das especiarias

Seu desafio é ampliar o universo de paladar das crianças e estreitar ainda mais o relacionamento delas com a cozinheira da escola. Nossa proposta é que você apresente diversos temperos aos seus alunos e monte com eles uma horta de especiarias que, mais tarde, será presenteada à cozinheira. Para começar, você pode realizar um jogo de memória diferente. Separe temperos (salsinha, alecrim, manjericão, orégano, tomilho, ou outros que você quiser). Você precisará também de 10 copinhos. Coloque o mesmo tempero em dois copinhos diferentes. Um deles deve ser tampado com um pano ou papel não transparente. Você deve apresentar os temperos dos copos destampados às crianças fornecendo informações (nome, tipo de receita onde se usa, origem, imagem da planta etc) e convidando-as a experimentar cada tempero (cheirando, comendo, tocando, olhando). Depois, a tarefa delas será identificar os temperos dos copos tampados e relacionar cada copinho tampado ao mesmo tempero no copo aberto. As crianças devem montar os pares (um copo aberto e um copo tampado), como um jogo de memória, usando o olfato para reconhecer os temperos que estão nos copinhos tampados. Depois disso, explique que todos esses temperos são plantas que podem ser cultivadas. Convide-os a montar uma horta de especiarias para dar presente à cozinheira. Se sua escola tiver uma horta, utilize um canteiro para isso. À medida que os temperos da horta fiquem grandinhos, organize momentos de colheita e visita à cozinheira para que ela receba esses gostosos presentes. Peçam, como retribuição, que ela conte em que pratos da refeição escolar cada tempero foi usado e por que ela fez essa escolha. A cozinheira pode fazer isso pessoalmente, indo à sala de aula, ou no refeitório.

Qual é o desafio?

Seu desafio é ampliar o universo de paladar das crianças e estreitar ainda mais o relacionamento delas com a cozinheira da escola.

Nossa proposta é que você apresente diversos temperos aos seus alunos e monte com eles uma horta de especiarias que, mais tarde, será presenteada à cozinheira.

Para começar, você pode realizar um jogo de memória diferente. Separe temperos (salsinha, alecrim, manjericão, orégano, tomilho, ou outros que você quiser). Você precisará também de 10 copinhos. Coloque o mesmo tempero em dois copinhos diferentes. Um deles deve ser tampado com um pano ou papel não transparente. Você deve apresentar os temperos dos copos destampados às crianças fornecendo informações (nome, tipo de receita onde se usa, origem, imagem da planta etc) e convidando-as a experimentar cada tempero (cheirando, comendo, tocando, olhando).

Depois, a tarefa delas será identificar os temperos dos copos tampados e relacionar cada copinho tampado ao mesmo tempero no copo aberto. As crianças devem montar os pares (um copo aberto e um copo tampado), como um jogo de memória, usando o olfato para reconhecer os temperos que estão nos copinhos tampados.

Depois disso, explique que todos esses temperos são plantas que podem ser cultivadas. Convide-os a montar uma horta de especiarias para dar presente à cozinheira. Se sua escola tiver uma horta, utilize um canteiro para isso.

À medida que os temperos da horta fiquem grandinhos, organize momentos de colheita e visita à cozinheira para que ela receba esses gostosos presentes. Peçam, como retribuição, que ela conte em que pratos da refeição escolar cada tempero foi usado e por que ela fez essa escolha. A cozinheira pode fazer isso pessoalmente, indo à sala de aula, ou no refeitório.

Por que realizar este desafio?

Os temperos são parte importante daquilo que aprendemos a chamar de “sabor” da comida. Eles conferem identidades regionais, familiares, ou tradicionais aos pratos que experimentamos durante a vida. Embora todos saibamos que alimentar-se é uma experiência dos 5 sentidos, muitas situações da vida cotidiana podem nos afastar dessa importante noção. A apresentação desses sabores e a partilha da experiência de comer algo que se viu crescer nos recolocam o valor destes sabores tão diferentes e, especialmente, pouco parecidos com aqueles que encontramos nos alimentos industrializados, cada vez mais comuns.

O que conta ponto?

Este desafio vale, no máximo, **200 pontos** que serão distribuídos da seguinte maneira: 50 pela realização, 40 pela qualidade do desafio realizado e respectivo registro que você fizer; 10 para cada tempero efetivamente plantado, presenteado e usado pela cozinheira (no máximo, 80 pontos, ou seja, 8 temperos) e 30 para o envolvimento das famílias.

O que será considerado no registro?
* Qualidade da informação (explicações detalhadas e suficientes sobre cada etapa do processo)
* Qualidade da documentação (fotos, produções das crianças, depoimentos das crianças e cozinheira ou membros da família etc)
* Sua avaliação (você deve relatar problemas que você tenha encontrado e também aquilo que você considerou bem sucedido, apresentando as razões para os dois casos)
* Conexão (como foi que você inseriu o desafio no seu planejamento curricular)
* Extrapolação (atividades que você tenha realizado a partir do desafio)

Você já pensou sobre isso?

  1. A vida contemporânea nos grandes centros oferece às crianças experiências diferentes daquelas que você, adulto, provavelmente teve na infância. Também é verdade que experiências valiosas têm se tornado cada vez mais raras. Entre elas, a experiência de cuidar de outro ser vivo e, dessa forma, se relacionar com tempos que não são controlados por nós, como o tempo de crescimento de uma planta ou bicho. Aprender que cuidado e controle são noções diferentes é uma das maiores experiências que a infância pode ter. Uma horta na escola é uma excelente maneira de criar esta oportunidade.
  2. Hortas podem ser feitas em qualquer espaço.
  3. Evite usar as garrafas PET para a horta. Pense em alternativas.
  4. Procure regar a horta com água de reuso.
  5. Envolva as famílias, pedindo às crianças que tragam temperos que sejam usados em casa para apresentar aos colegas.