Gestores Olhando melhor!

Seu desafio é fazer uma observação do espaço de refeitório de sua escola. A partir dessa observação, você elaborará e divulgará uma avaliação-diagnóstica, que é aquele tipo de avaliação em que a gente nomeia os problemas encontrados e aponta possíveis soluções.

QUAL O PRODUTO FINAL DESSE DESAFIO?

Ao final deste desafio, você terá elaborado um pequeno relatório com tudo o que você observar, no qual você nomeie e explique os problemas detectados, as coisas que já funcionam bem. Proponha soluções imediatas, mesmo que nas ideias, para os problemas e formas de expansão e replicação das coisas que funcionam bem.

UM JEITO DE FAZER

Para começar, reserve períodos de seu dia para estar lá, nas escolas, nos horários de refeições e em horários em que o refeitório não é ocupado.

Observar, como você sabe, é mais do que olhar: é olhar com um propósito, com um objetivo. Assim, vá para sua observação com um roteiro de perguntas que você deve se fazer e, na medida do possível, responder, com base em sua observação.

Certifique-se de que suas perguntas cobrem um universo de problemas e intervenções possível, como estas que apresentamos aqui:

 Estrutura física

  • Tem cadeiras para todos?
  • Comem em pratos de vidro?
  • Com talheres adequados para sua idade?
  • Há toalhas na mesa? Guardanapos?

  Ambiente

  • O ambiente é agradável?
  • É possível conversar?
  • O ambiente é de uso exclusivo do refeitório ou há outras atividades acontecendo ali enquanto as crianças comem?

  Informação

  • Eles sabem o que vai ser servido?
  • Os cardápios estão visíveis?
  • Alguém os ajuda na tarefa de se servir?

 Adultos presentes

  • Há adultos presentes?
  • Qual é a participação deles?
  • As cozinheiras se relacionam com as crianças?
  • A função de cada adulto é claramente conhecida pelas crianças?

 Horários

  • As crianças comem em horários socialmente praticados?

 Resíduos

  • Há desperdício de alimentos?
  • Qual é o destino destes resíduos?

 Você pode, é claro, incluir aí tantas perguntas quantas considerar necessário ou interessante.

Lembre-se que uma boa observação implica continuidade e diversidade, ou seja, você deve observar o refeitório em funcionamento e em outros horários e situações (diversidade) e deve fazer cada uma destas observações mais de uma vez (continuidade), para assegurar-se de que analisará apenas situações típicas.

Você deve incluir em sua observação a opinião das pessoas que trabalham e atuam diretamente neste ambiente, principalmente as cozinheiras, crianças etc.

Você já pensou sobre isso?

  1. Há até bem pouco tempo atrás, cerca de 50 anos, as crianças aprendiam sobre as refeições e como se comportar, e o que comer, com suas famílias. Quando chegavam à escola, já sabiam tudo isso. Mas o mundo muda e, hoje, essa aprendizagem se realiza na escola. Uma coisa, entretanto, não mudou: em casa ou na escola, as crianças só aprendem estas coisas se houver adultos disponíveis e dispostos a ensinar!
  2. A palavra refeição significa, em sua origem, refazer-se, recompor-se. Assim, qualquer refeição é muito mais do aquilo que comemos. Para alguém se refazer é preciso que este seja um momento de dignidade, agradável, razoavelmente organizado (não é à toa que a gente não se sinta refeito quando come em um fast-food qualquer, não é?).

POR QUE REALIZAR ESTE DESAFIO?

A refeição escolar envolve diversos aspectos que vão desde as condições de higiene nas quais os alimentos são preparados, seu valor nutricional, a apresentação bonita do alimento e, é claro, tudo o que acontece no momento em que as crianças comem. Muitas vezes, a comida pode ser muito nutritiva e ter uma aparência excelente, mas as condições nas quais as crianças comem são pouco consideradas.

As refeições, na escola ou em qualquer outro lugar, envolvem regras de polidez e convivência que só podem ser aprendidas se forem ensinadas. Para que isso ocorra efetivamente, entretanto, a refeição deve ser precisamente isto: um ato humano, que permita a construção de laços sociais, a conversa, o uso de utensílios, saborear a comida e a companhia, o espaço e os pequenos rituais que envolvem este momento da refeição! 

O QUE SERÁ AVALIADO PARA SELEÇÃO DAS MELHORES PRÁTICAS

Relatos e Reconhecimento

Para relatar seus desafios você contará com um roteiro, em forma de perguntas, que pode orientá-lo e ajudar a organizar seu texto.  Lembre-se: ao fazer seu relato, você deve ser bem generoso. Os relatos serão avaliados e os melhores serão selecionados para uma publicação e divulgação na rede municipal de ensino. Os avaliadores considerarão os critérios abaixo:

Para o Desafio:

  • Realizou o desafio e o ampliou de forma expressiva, propondo atividades e conteúdos que enriqueceram o trabalho, mas não estavam previstos na sugestão original.
  • Realizou o desafio como proposto e fez ampliações/adaptações contemplando questões específicas de sua turma/escola/comunidade.
  • Realizou o desafio estabelecendo parcerias que ampliaram o alcance de sala de aula, envolvendo outros professores/turmas ou outros profissionais da escola;
  • Realizou o desafio prevendo/incluindo atividades para que a família dos alunos e alunas participasse de forma importante;
  • Realizou o desafio prevendo/incluindo atividades que oportunizassem o contato e envolvimento com outros membros da comunidade local - comerciantes, vizinhos etc.
  • Inseriu no desafio mecanismos ou atividades avaliativas, que permitam demonstrar claramente de que forma os objetivos desejados foram alcançados e de que forma isso impacta a vida escolar.

Para o registro:

  1. Enriqueceu e ilustrou seu relato com fotografias, produtos do trabalho dos alunos e alunas, materiais adicionais, vídeos, áudios.
  2. O educador produziu, como registro, um texto que permite:
  • Acompanhar todos os momentos da realização do desafio.
  • Mostrar os valores simbólicos que fundamentaram o trabalho.
  • Mostrar como serão as atividades de continuidade, expansão ou manutenção do trabalho realizado.
  • Mostrar como tudo isso foi avaliado, as dúvidas e dificuldades que precisaram ser resolvidas.
  • Mostrar como os alunos trabalharam, o que eles aprenderam, o que isso produziu de alteração na vida escolar.