Nutrir nas Escolas Atividades físicas para escolas sem quadra esportiva

É muito comum pensarmos na quadra de esportes como o principal local para realizar as aulas de educação física. Porém, infelizmente, essa não é a realidade da maior parte das escolas públicas brasileiras. Segundo o Censo Escolar 2015, 65,5% das escolas públicas no país não possuem uma quadra esportiva – são seis em cada dez escolas! Mesmo sem esse espaço tão importante, ainda assim dá para buscar alternativas para promover a prática de atividades físicas nas escolas.

Os próprios Parâmetros Curriculares Nacionais de educação física dão um caminho: adaptar espaços da escola, como pátios e jardins, para atividades como jogos de arremesso e basquete por meio de pneus e aros pendurados em árvores, circuitos de movimento com materiais diversos, entre outros. É possível ainda fazer adaptações de modalidades esportivas: corridas de velocidade ou com obstáculos, chute em gol, rodas de vôlei em pequenos grupos...

Os desafios realizados no Nutrir pelo professor de educação física Daniel Cardoso Lourenço, vencedor do Prêmio Nutrir nas Escolas 2015 em sua categoria em São Paulo (SP), também são exemplos de alternativas para escolas sem quadra. Atualmente, Daniel dá aulas para alunos do 1º ao 9ª ano nas EMEFs M’Boi Mirim I e Anna Silveira Pedreira, e em 2015 conduziu os desafios do Nutrir na EMEF Chácara Sonho Azul – todas com quadras esportivas. Mas dois dos desafios envolvendo atividades físicas que fizeram muito sucesso com os estudantes em 2015 podem ser feitos tranquilamente em escolas que não têm esse espaço.

No desafio Movimentar-se na Escola, o professor elaborou um projeto voltado para jogos e brincadeiras populares: amarelinha, taco, pião, bolinha de gude, elástico e corda. O projeto foi articulado com outros professores e envolveu também pesquisas, questionários para os pais, aulas sobre a história dos jogos e brincadeiras e a criação de poemas relacionados às brincadeiras, que foram expostos em cartazes. Daniel também organizou diversas atividades no projeto “Recreio Divertido”, criado para o desafio Quem escolhe é você, para incentivar a movimentação dos alunos no horário do recreio. As crianças se divertiram com cordas, chute a gol, cama elástica, bola ao cesto, entre outras brincadeiras.

“Espaços como pátios, salas e áreas livres da escola, muitas vezes não utilizados, podem ser preparados e organizados com planejamento para a finalidade de trabalhar alguns conteúdos da educação física escolar, como jogos, esportes, danças, ginástica e lutas. Mas deixo claro que, para o desenvolvimento de alguns conteúdos, a quadra seria o espaço essencial”, afirma o professor.

Daniel ressalta que, além das atividades físicas, outros conteúdos também podem ser trabalhados com os alunos, assim como no desafio Identificar hábitos alimentares. Para isso, a escola pode adaptar espaços com materiais que contribuem para as discussões da turma. “Por exemplo, uma sala ambiente de educação física com mapas, esqueletos, materiais de anatomia e fisiologia e aparelhos multimídia para discussão de temas sobre os quais poderíamos verificar a teoria para relacionar com a parte prática da aula, que é a essencial da educação física escolar”, sugere. Daniel acrescenta que tudo deve estar preparado com antecedência à aula e de acordo com o planejamento do professor.

Saiba mais:
- Nova Escola: Como praticar esportes em escolas sem quadra
- O Globo: Seis em dez escolas públicas do Brasil não têm quadras para atividade física

 

Notícias relacionadas:
- Brincadeiras que exercitam habilidades esportivas
- Educação física para criar hábitos saudáveis