Nutrir nas Escolas Mais cores no prato, mais nutrientes na refeição

Você já prestou atenção nas cores presentes no seu prato? Quantas cores você consegue identificar nos alimentos? Se são poucas – e quase sempre as mesmas – é bom você pensar em acrescentar mais cores à sua refeição. Não é exagero quando ouvimos que quanto mais colorido for o prato, mais nutritiva é a refeição. É que os pigmentos que dão as cores a frutas, verduras, legumes e grãos atuam de formas diferentes no nosso organismo e são bons indicadores da variedade de nutrientes que estamos ingerindo.

Esses alimentos podem ser divididos em seis grupos de cores: vermelho, verde, amarelo ou laranja, roxo ou preto, marrom e branco. É claro que outros tipos de alimentos, como carnes e ovos, também são bem-vindos, mas eles não se encaixam nesses grupos de pigmentos. É importante não só misturar diferentes cores no prato, como variar os tipos de alimentos a cada refeição.

O momento da refeição escolar é ideal para tratar desse assunto com os alunos de uma maneira leve e descontraída – afinal, o prato fica mesmo mais bonito e atraente para as crianças quando está repleto de cores. Que tal convidá-los a incluir o máximo de cores no prato que puderem? O clássico arroz com feijão, cenoura e berinjela cozidas e uma salada fresquinha com alface e tomate formam um exemplo de refeição que une todos os grupos de cores. As frutas consumidas durante o lanche também são uma boa oportunidade de chamar a atenção para a diversidade de cores dos alimentos.

Conheça alguns alimentos que fazem parte de cada grupo e os benefícios que eles trazem para nossa saúde.

Vermelho: O pigmento que dá cor ao morango, tomate, melancia, maçã, caqui, pimentão, acerola, entre outros, tem o nome de licopeno. Junto à vitamina C, ele tem um efeito antioxidante, ou seja, evita que as células se desgastem. O licopeno ainda ajuda na prevenção contra alguns tipos de câncer e a proteger o coração. Outro pigmento ligado à cor vermelha é a antocianina, que estimula a circulação do sangue e auxilia no controle da diabetes.

Verde: Tem gente que não gosta nem de ver alimentos verdes no prato, como alface, couve, vagem, brócolis, pepino, kiwi e abacate. Mas eles são riquíssimos em nutrientes: cálcio, ferro, magnésio, vitaminas A, C, E e K, ácido fólico e muito mais. A cor verde vem da clorofila, que além de ser antioxidante, ajuda a limpar substâncias ruins do organismo. Os alimentos verdes protegem o sistema imunológico, o coração e a pele e auxiliam no combate à anemia.

Amarelo ou laranja: O betacaroteno é o responsável pela cor de alimentos como laranja, cenoura, abacaxi, milho, abóbora, mamão, maracujá etc. Esse pigmento é importante para a saúde dos olhos, da pele e dos cabelos. Os alimentos de cor amarela ou laranja têm fibras, vitaminas A, B3 e C e outros nutrientes que reforçam os sistemas imunológico e nervoso, melhoram a digestão e previnem contra doenças respiratórias.

Roxo ou preto: Alimentos como uva, ameixa, berinjela, açaí, jabuticaba, beterraba e amora também são coloridos pela antocianina. Além dos benefícios já citados anteriormente, esse pigmento ajuda no controle do colesterol, na prevenção contra doenças cardíacas e na melhora do raciocínio e da memória. Ferro, vitaminas do complexo B, fibras e antioxidantes estão presentes nos alimentos roxos ou pretos.

Marrom: Feijão, castanhas, aveia, lentilha, soja, grão-de-bico, cereais integrais e outros alimentos marrons são repletos de fibras, selênio, zinco, vitaminas do complexo B e E e ômegas 3 e 6. Tantos nutrientes fazem com que esses alimentos contribuam para o funcionamento do intestino, o controle do colesterol, de triglicerídeos e da glicose e a regeneração dos tecidos do corpo.

Branco: O grupo dos alimentos brancos inclui cebola, arroz, couve-flor, nabo, mandioca, banana, palmito... Eles têm uma cor clarinha por causa da antoxantina, um pigmento que protege as células, ajuda a reduzir o colesterol e previne contra o câncer. Os alimentos desse grupo são bons aliados para a saúde dos ossos, dos músculos e do sistema nervoso, com nutrientes como cálcio, potássio e magnésio.