Carregando...

Cozinheiras Experimenta para você ver!

Sobre Nós

  • Tenho 41 anos, sou casada, mãe,  a número 2 de 8 irmãos. Tendo que aprender desde cedo a cozinhar, ajudava minha avó quando eu tinha apenas 7 anos. Tempos depois, cozinhar passou a ser uma terapia, trabalhei em escritórios e outros... Por ironia  da vida minha filha  nasceu pré-matura e acabou ficando com preguiça de mastigar . Após um tempo trabalhei em buffet, na preparação de pratos sofisticados, doces e outros.  Hoje estou  em uma cozinha escolar, que  a cada dia enfrento um desafio diferente, incluir alimentos que as crianças de 4 à 6 anos aceitem. Enriquecer  cardápios que além de tudo chamem a atenção das crianças,  todos sabem que cozinhar é uma alquimia de cores, cheiros, sabores que aguçam os estômagos, más o principal é acreditar no que  veem, as pessoas ainda se encantam pelo  olhar e com as crianças não é diferente. Aí saciamos a fome com o paladar, momento esse que deve ser prazeroso, e não obrigatório e angustiante.
  • Minha escola é pequenina ela tem cerca de 100 alunos matriculados entre 4 e 6 anos e o número de profissionais envolvidos diretamente e indiretamente são de 30 profissionais, na cozinha por exemplo são três cozinheiras, e com modéstia,  bem entrosadas...A escola fica localizada na cidade de Santos próximo ao Orquidário o único infortúnio é que o VLT passará na porta da escola. Minha escola conta com o maior número de crianças chamadas inclusão, no nosso caso elas são autistas de vários graus diferentes.

Com a bagagem que trouxe dos bufetes pude perceber aos poucos que os autistas são detalhistas e comecei a notar que elas sempre rejeitavam o prato, pois as antigas costumavam a servir os alimentos como montanha, aí consegui convencer umas amigas a colocar separadamente no prato os alimentos, ficando mais bonitos e apetitosos, também passamos à servir pouco e aumentar o número de repetições e brincar "Quem comer tudo ganha sobremesa", como troca, sendo comum nesta idade. E mais, quando comem tudo, tem o direito de escolherem a repetição. Isso não só aumenta o interesse dos autistas, como de todas as crianças!! 

 

Nome do prato

Mandirá ao forno com batatas.

Minha receita

2 kg de mandirá

1/2 xícara de vinagre

2 limões 

    sal à gosto

4 à 6 dentes de alho picados(reserve dois, pique-os e frite em óleo)

2 cebolas média (cortadas à meia lua fina)

2 pimentões médio (cortados à meia lua fino)

4 tomates sem sementes ( cortados à meia lua média)

1 cenoura média (ralo grosso)

1 kg de batatas( cortadas em 6 partes, cozidas ao dente e com sal à gosto)

1 xícara de salsa picada

2 colheres de sopa de margarina( para gratinar as batatas)


Modo de preparo :

           Lave os filés com água e vinagre, escorra  em um escorredor e acrescente o sal um pouco de alho e os limões , coloque em uma assadeira retangular e leve ao forno em temp. de 255 ºC por 20 min. Retire do forno e escorra em um escorredor , volte a forma e desfie levemente,  junte a cenoura, a acebola, o pimentão , os tomates, 1/2 xic. de salsa picada e por último jogue as batatas cozidas ao dente por cima mais a margarina salpicando com a salsa. Leve ao forno na mesma temperatura até dourarem as batatas ao retirar do forno salpique novamente com o alho frito só para decorar..

Rendimento:
 20 porções ( crianças) Proporcionamento : 2 colheres de sopa ou 60g

 12 porções (adultos)  Proporcionamento : 3 colheres de sopa ou 90g

Tempo de preparo: 50 min

Valor nutritivo por 80 g

Energia (Kcal)                                                     Cálcio (mg)

Proteína (g)                                                          Mg (mg)

Lipídio (g)                                                               Ferro (mg)

Carboidratos (g)                                                 Sódio (mg)

Fibra (g)                                                                   Zinco (mg)

Saturada (g)                                                          Vitamina A (mg)

Vitamina C  (mg)

Motivos

Decidi criar essa receita pelo o simples fato das crianças rejeitarem o peixe. Muitas delas nunca comeram e não sabem o sabor, más ao ouvir falar já torcem o bico. Então encarei o desafio com outro desafio!Sabendo eu o valor nutritivo e a importância que o OMEGA proporciona à saúde o peixe é uma proteína indispensável no nosso cardápio. Disfarçando o cheiro e escondendo o sabor, sem gordura ou água eles aceitariam melhor o prato oferecido.

Quem comeu

A receita foi servida no dia 14 de outubro na escola, no período do almoço, que é das 09:55 hs às 10:55 hs, sendo a sala vermelha de 3 e 4 anos, amarela de 5 anos, azul e verde ambos de 6 anos (Pré).


Quem gostou

A Agata de apenas 4 anos e sua amiga Maria Eduarda repetiram por tês vezes e sabiam que era peixe. A Professora Rose provou e aprovou o sabor...estimulando as crianças a comerem e falarem ..,nas outras salas também não foi diferente, houve muitas repetições e pouca sobra.....

Alegrias

Os elogios e abraços ganhados das crianças, saber ainda que mais um dia cumpri meu dever, só que desta vez pude realizar um desafio e contar com a participação de todos...Quando perguntam o que vai ser amanhã  é sinal de que gostaram!! As vezes digo amanhã é sábado !!! Aí respondem: Hááááa!


Nem tudo são flores

O nosso refeitório não está pronto!!

 As Batatas estarem um pouco mais douradas!!


Revisão

Nada!!! Acredito que uma receita é sempre uma receita e crianças que estão descobrindo os sabores e identificar odores bons e ruins não é bom ficar alterando receitas, más sim dar nomes às receitas é muito legal...estimula a curiosidade...