Carregando...

Ensino Fundamental 9 a 14 anos Para sacudir o esqueleto!

Sobre Nós

Um pouco sobre mim...

 

         Fui alfabetizada em uma escola do Estado de São Paulo com o método tradicional que me rendeu muito esforço para entender a importância de se aprender a ler com aquelas frases feitas, sem muito sentido de cartilhas de alfabetização. Tudo era sacrifício.

         Com o passar dos anos, já no final do 1º colegial, rodeada de expectativas para iniciar no mercado de trabalho, passei a me questionar qual carreira seguir e investigando minhas preferências percebi que conhecia muito bem o ambiente escolar, visto viver grande parte dentro dele. Passei para o magistério, adaptações e logo após sua conclusão iniciei a faculdade de Letras com duração de três anos e aulas de sábado.... tempo de grande descobertas, foi despertado em mim sensações antes desconhecidas, passei a me conhecer melhor.

         Nesta época de faculdade eu já lecionava na educação infantil de escolas particulares e passei a substituir em escolas estaduais como PEB II, quanta aprendizagem..... quanta dificuldade..... eu precisava de mais preparo para lidar com todo aquilo. Sentia que o que tinha não era o suficiente, sensação horrível.

         Terminada a faculdade, prestei uma prova seletiva e fui dar aula em uma APAE, algo muito diferente para mim, então participei de vários cursos voltado para este setor para melhorar a minha pratica: libras, curso de 180 horas das Apaes, encontros da semana de prevenção á excepcionalidade, palestras sobre deficiência mental e vários outros encontros dialógico de educadores tratando dos desafios da educação inclusiva.

         Prestei outro concurso, desta vez em minha cidade, “Caieiras”, quando recebi o telefonema para fazer os exames médicos, pulei de alegria não imaginava como a minha vida iria mudar....  logo de inicio era tudo muito diferente do meu trabalho anterior, mas graças a Deus e a minhas amigas de trabalho em especial Eliane e Renata Ghizzi consegui sobreviver no meu primeiro ano. Depois mesmo com esta rotina puxada de trabalho ( 8 horas de efetivo trabalho na escola e participação de cursos na parte da tarde) realizava atividades em casa também até tarde da noite.... aprendi muito.  Participei do curso “Letra e Vida”, um curso muito bom, e participei de todos oferecidos pela Secretaria de Educação de Caieiras. Voltei para a faculdade e fiz Pedagogia, sempre com o mesmo objetivo aprimorar minha prática.

         Conclui minha pós em Psicopedagogia e hoje participei do Pacto Nacional pela Alfabetização na idade certa nos anos  de 2013 e 2014. Lecionei em Caieiras desde 2006 até o início de 2015 quando passei no concurso da Prefeitura de São Paulo, que felicidade!!!! Fiquei tão nervosa na escolha.... que medo de ir pra uma escola muito longe de casa! Mas, graças a Deus, deu tudo certo, consegui a ultima vaga no Dale Coutinho. No ano passado fiquei com uma turma de 4º ano e neste ano de 2016 estou com o 5º ano A.

           E o que falar dos alunos? Da sala? È uma turminha grande composta por 33 alunos, que convivem com harmonia dentro da sala mesmo nos momentos conflitantes. Conversamos bastante, procuro granjear o respeito dos alunos, porém nem tudo são flores.... as vezes preciso chamar severamente a atenção deles.  Tenho alunos bem participativos e uns 5 que não se envolvem e que só participam quando indagados por mim.

         Neste projeto, desde o início fiz o máximo para envolver todos os alunos  da sala e alguns realmente se envolveram e desempenharam muito bem todas as atividades do percurso. Os assuntos abordados chamavam a atenção, sem falar que para desenvolver as etapas do projeto eles precisaram colocar a mão na massa.

 

Passo a Passo

Passo a Passo

Iniciei este projeto, realizando leitura compartilhadas que mostravam a importância de se fazer atividades físicas diariamente. Segue alguns textos lidos:

Importância da atividade física

"A prática regular de atividade física sempre esteve ligada à imagem de pessoas saudáveis. Antigamente, existiam duas idéias que tentavam explicar a associação entre o exercício e a saúde: a primeira defendia que alguns indivíduos apresentavam uma predisposição genética á prática de exercício físico, já que possuíam boa saúde, vigor físico e disposição mental; a outra proposta dizia que a atividade física, na verdade, representava um estímulo ambiental responsável pela ausência de doenças, saúde mental e boa aptidão física. Hoje em dia sabe-se que os dois conceitos são importantes e se relacionam."

Introdução

Mas o que é atividade física? De acordo com Marcello Montti, atividade física é definida como um conjunto de ações que um indivíduo ou grupo de pessoas pratica envolvendo gasto de energia e alterações do organismo, por meio de exercícios que envolvam movimentos corporais, com aplicação de uma ou mais aptidões físicas, além de atividades mental e social, de modo que terá como resultados os benefícios à saúde.

No Brasil, o sedentarismo é um problema que vem assumindo grande importância. As pesquisas mostram que a população atual gasta bem menos calorias por dia, do que gastava há 100 anos, o que explica porque o sedentarismo afetaria aproximadamente 70% da população brasileira, mais do que a obesidade, a hipertensão, o tabagismo, o diabetes e o colesterol alto. O estilo de vida atual pode ser responsabilizado por 54% do risco de morte por infarto e por 50% do risco de morte por derrame cerebral, as principais causas de morte em nosso país. Assim, vemos como a atividade física é assunto de saúde pública.

Por que a preocupação com o sedentarismo?

Na grande maioria dos países em desenvolvimento, grupo do qual faz parte o Brasil, mais de 60% dos adultos que vivem em áreas urbanas não praticam um nível adequado de exercício físico. Esse problema fica mais claro quando levamos em conta os dados do censo de 2000, que mostram que 80% da população brasileira vive nas cidades.

Os indivíduos mais sujeitos ao sedentarismo são: mulheres, idosos, pessoas de nível sócio-econômico mais baixo e os indivíduos incapacitados. Observou-se que as pessoas reduzem, gradativamente, o nível de atividade física, a partir da adolescência.

Em todo o mundo observa-se um aumento da obesidade, o que se relaciona pelo menos em parte à falta da prática de atividades físicas. É o famoso estilo de vida moderno, no qual a maior parte do tempo livre é passado assistindo televisão, usando computadores, jogando videogames, etc.

Quais são os benefícios da atividade física?

A prática regular de exercícios físicos acompanha-se de benefícios que se manifestam sob todos os aspectos do organismo. Do ponto de vista músculo-esquelético, auxilia na melhora da força e do tônus muscular e da flexibilidade, fortalecimento dos ossos e das articulações. No caso de crianças, pode ajudar no desenvolvimento das habilidades psicomotoras.

Com relação à saúde física, observamos perda de peso e da porcentagem de gordura corporal, redução da pressão arterial em repouso, melhora do diabetes, diminuição do colesterol total e aumento do HDL-colesterol (o "colesterol bom"). Todos esses benefícios auxiliam na prevenção e no controle de doenças, sendo importantes para a redução da mortalidade associada a elas. Veja, a pessoa que deixa de ser sedentária e passa a ser um pouco mais ativa diminui o risco de morte por doenças do coração em 40%! Isso mostra que uma pequena mudança nos hábitos de vida é capaz de provocar uma grande melhora na saúde e na qualidade de vida.

Já no campo da saúde mental, a prática de exercícios ajuda na regulação das substâncias relacionadas ao sistema nervoso, melhora o fluxo de sangue para o cérebro, ajuda na capacidade de lidar com problemas e com o estresse. Além disso, auxilia também na manutenção da abstinência de drogas e na recuperação da auto-estima. Há redução da ansiedade e do estresse, ajudando no tratamento da depressão.

A atividade física pode também exercer efeitos no convívio social do indivíduo, tanto no ambiente de trabalho quanto no familiar.

Interessante notar que quanto maior o gasto de energia, em atividades físicas habituais, maiores serão os benefícios para a saúde. Porém, as maiores diferenças na incidência de doenças ocorrem entre os indivíduos sedentários e os pouco ativos. Entre os últimos e aqueles que se exercitam mais, a diferença não é tão grande. Assim, não é necessária a prática intensa de atividade física para que se garanta seus benefícios para a saúde. O mínimo de atividade física necessária para que se alcance esse objetivo é de mais ou menos 200Kcal/dia. Dessa forma, atividades que consomem mais energia podem ser realizadas por menos tempo e com menor freqüência, enquanto aquelas com menor gasto devem ser realizadas por mais tempo e/ou mais freqüentes.

Como é feita a escolha da atividade física adequada?

A escolha é feita individualmente, levando-se em conta os seguintes fatores:

  • Preferência pessoal: o benefício da atividade só é conseguido com a prática regular da mesma, e a continuidade depende do prazer que a pessoa sente em realizá-la. Assim, não adianta indicar uma atividade que a pessoa não se sinta bem praticando.
  • Aptidão necessária: algumas atividades dependem de habilidades específicas. Para conseguir realizar atividades mais exigentes, a pessoa deve seguir um programa de condicionamento gradual, começando de atividades mais leves.
  • Risco associado à atividade: alguns tipos de exercícios podem associar-se a alguns tipos de lesão, em determinados indivíduos que já são predispostos.

Atividade física em crianças e jovens

Nesses grupos, além de ser importante na aquisição de habilidades psicomotoras, a atividade física é importante para o desenvolvimento intelectual, favorecendo um melhor desempenho escolar e também melhor convívio social. A prática regular de exercícios pode funcionar como uma via de escape para a energia "extra normal" das crianças, ou seja, sua hiperatividade.

Atividade física em idosos

A falta de aptidão física e a capacidade funcional pobre são umas das principais causas de baixa qualidade de vida, nos idosos. Com o avanço da idade, há uma redução da capacidade cardiovascular, da massa muscular, da força e flexibilidade musculares, sendo que esses efeitos são exacerbados pela falta de exercício.

Está mais do que comprovado que os idosos obtém benefícios da prática de atividade física regular tanto quanto os jovens. Ela promove mudanças corporais, melhora a auto-estima, a autoconfiança e a afetividade, aumentando a socialização.

Antes do início da prática de exercícios, o idoso deve passar por uma avaliação médica cuidadosa e realização de exames. Isso permitirá ao médico indicar a melhor atividade, que pode incluir: caminhada, exercício em bicicleta ergométrica, natação, hidroginástica e musculação.

Algumas recomendações são importantes, e valem também para as outras faixas etárias:

  • Uso de roupas e calçados adequados.
    • Ingestão de grandes quantidades de líquidos, antes do exercício.
    • Praticar atividades apenas quando estiver se sentindo bem.
    • Iniciar as atividades lenta e gradualmente.
    • Evitar o cigarro e medicamentos para dormir.
    • Alimentar-se até duas horas antes do exercício.
    • Respeitar seus limites pessoais.
    • Informar qualquer sintoma.

Atividade física durante a gestação

É necessário a todas as gestantes um trabalho corporal a cada trimestre da gestação, para facilitar a adequação às alterações que ocorrem nesse período. Uma melhor capacidade cardiorrespiratória facilita a realização das atividades domésticas; uma melhoria das condições musculares e esqueléticas ajuda na adaptação às mudanças posturais e no trabalho de parto. Além disso, é de extrema importância a auto-estima, a convivência com outras gestantes e os sentimentos de segurança e de felicidade.

Os exercícios de ginástica garantem fortalecimento muscular, protegendo assim as articulações e reduzindo o risco de lesões. Ajudam também na oxigenação, na circulação e no controle da respiração. Já os exercícios desenvolvidos na água favorecem o relaxamento corporal, reduzem as dores nas pernas e o inchaço dos pés e mãos.

Antes do início dos exercícios, a gestante deve passar por consulta de pré-natal para ser avaliada pelo obstetra. Após a realização dos exames ele poderá liberar ou não a prática de exercícios. As mulheres que já praticavam atividade física e que nunca sofreram aborto espontâneo, podem continuar as atividades após adaptação para seu novo estado. Já aquelas sedentárias devem iniciar os exercícios após a décima segunda semana de gestação. Não havendo problemas, os exercícios podem ser continuados até o parto, embora seja necessário reduzir a intensidade aos poucos. Após o parto normal, as atividades podem ser retomadas após 40 dias. No caso de cesárea, o médico avalia cada caso.

As atividades físicas mais recomendadas às mulheres grávidas são:

  • Caminhada: é muito bom para a preparação para o parto, já que melhora a capacidade cardiorrespiratória e favorece o encaixe do bebê na bacia da mãe. O ideal é caminhar 3 vezes por semana, cerca de 30 minutos.
    Natação: trabalha bastante a musculatura. Atenção: apenas algumas modalidades são liberadas durante a gestação.
    Hidroginástica: são os mais indicados para as gestantes!
    Alongamento: ajuda a manter a musculatura relaxada e o controle da respiração.

Considerações finais

Para finalizar devemos ressaltar que a prática de atividade física deve ser sempre indicada e acompanhada por profissional qualificado, incluindo médicos, fisioterapeutas e profissionais de educação física. Caso sinta algo diferente é mandatório informar ao responsável. Outro ponto importante, que não deve ser esquecido, é a adoção de uma alimentação saudável, rica em frutas, legumes, verduras e fibras. Prefira o consumo de carnes grelhadas ou preparadas com pouca gordura. Evite o consumo excessivo de doces, comidas congeladas e os famosos lanches de "fast-foods". E lembre-se: beba muito líquido (de preferência água e sucos naturais).

A atividade física consiste em exercícios bem planejados e bem estruturados, realizados repetitivamente. Eles conferem benefícios aos praticantes e têm seus riscos minimizados através de orientação e controle adequados. Esses exercícios regulares aumentam a longevidade, melhoram o nível de energia, a disposição e a saúde de um modo geral. Afetam de maneira positiva o desempenho intelectual, o raciocínio, a velocidade de reação, o convívio social. O que isso quer dizer? Há uma melhora significativa da sua qualidade de vida!

O que precisamos ressaltar é o investimento contínuo no futuro, a partir do qual as pessoas devem buscar formas de se tornarem mais ativas no seu dia-a-dia, como subir escadas, sair para dançar, praticar atividades como jardinagem, lavagem do carro, passeios no parque. A palavra de ordem é MOVIMENTO.

Copyright © 2005 Bibliomed, Inc.            28 de Julho de 2005.

http://www.boasaude.com.br/artigos-de-saude/4772/-1/importancia-da-atividade-fisica.html

  • Após cada leitura eu abria uma roda de conversa, nestas conversar eu procurava enfatizar a importância de se praticar alguma atividade física e perguntava se em casa eles observavam se os pais faziam alguma atividade física e alguns relatavam que os pais no passado praticavam, mas, que agora não era possível porque não tinham tempo, dinheiro para pagar uma academia e não conheciam lugares perto de casa que pudessem fazer atividades regularmente ou não tinham com quem deixar os filhos menores. Questionei-os sobre a diferença entre atividade física e exercicíos físicos. Eles responderam que eram sinônimos, eu avisei qua aproxima leitura iria esclacer sobre isso;

E mais leituras:

Atividade física X exercícios físicos

Atividade física é qualquer movimento corporal produzido pela musculatura que resulte num gasto de energia acima do nível de repouso. Exemplos: caminhar para se deslocar de um lugar a outro, passear com o cachorro, subir escadas, lavar o carro, brincar com os filhos, dançar, cuidar do jardim, entre outros.
Exercício físico
é uma forma de atividade física planejada, repetitiva, com orientação profissional, que visa desenvolver a resistência física e as habilidades motoras. Exemplos: natação, musculação, lutas marciais, entre outros.

 A prática de atividade física também:

  • Melhora a autoestima e o desempenho sexual.
  • Diminui os riscos de depressão. 
  • Reduz o risco de infarto e doenças cardíacas.
  • Previne o surgimento de diabetes e AVC.
  • Fortalece as articulações, a musculatura e os ossos.

 

 

Atividades Físicas para Crianças 

As atividades físicas para crianças são extremamente importantes para um bom crescimento e desenvolvimento do corpo e da mente. É importante que a criança comece a criar resistência, coordenação, força, equilíbrio, agilidade, velocidade, percepções tátil, auditiva e visual, noções de espaço, de tempo e de ritmo... e todos os outros benefícios que podem ser adquiridos através das atividades físicas. A atenção precisa ser especial nessa fase, pois é durante toda a infância que novas sensações são descobertas, e são os exercícios que auxiliam e proporcionam o início de uma vida saudável.

Atualmente, há uma preocupação muito grande com o alto índice de obesidade durante a infância. Antigamente as brincadeiras proporcionavam uma queima de calorias muito maior, as crianças eram acostumadas a correr mais, pular mais...hoje muitas praticam atividades físicas apenas na educação física da escola, pois no tempo livre tudo gira em torno da televisão, do computador e do vídeo-game! Esses hábitos tem proporcionado menos qualidade de vida para as crianças e aumentando o índice de sedentarismo.

A prática correta e regular de exercícios precisa começar na infância, ou seja, é importante que os pais incentivem, busquem saber quais são as atividades preferidas da criança, e proporcione a realização. Normalmente as crianças preferem atividades que sejam divertidas e que tenham contato com outras crianças. Veja algumas dicas de atividades físicas para crianças e quais os principais benefícios:

Natação: é indicada a partir dos primeiros meses de vida, para que desde cedo haja uma adaptação com a água. Durante os primeiros anos, a natação ocorre de forma recreativa e lúdica, e é importantíssima para que novos movimentos sejam descobertos pela criança, sem nenhum trauma (tombo, batida, dor). É um grande auxílio para o desenvolvimento motor, assim como os aspectos cognitivos, emocionais e sociais. Além disso, melhora a resistência do organismo e ajuda em casos de problemas respiratórios e ortopédicos.

Ballet: ajuda muito na coordenação motora, concentração, disciplina, postura, memória, criatividade, lateralidade, ritmo, flexibilidade, musicalidade, e proporciona uma sensibilidade às artes e às expressões corporais.

Futebol, vôlei e basquete: normalmente são os três esportes que utilizam bola que são mais praticados pelos "pequenos". Ajudam a criança a criar uma certa resistência física, capacidade cardiorespiratória, coordenação motora e incentiva o trabalho em equipe.

Atividades Físicas para Adolescentes

Por anteceder a fase adulta é importante criar um hábito ainda maior de exercícios. Pesquisas comprovam que os adultos sedentários, na maior parte das vezes são assim, porque na adolescência já não tinham o costume de se exercitar.

Durante a adolescência, um período complicado, cheio de dúvidas, altos e baixos, onde a preocupação com a aparência triplica, a atividade física além de todos os benefícios oferecidos em qualquer fase, proporciona também um estímulo à socialização, à inclusão, aumenta a auto-estima, o bom-humor, a disciplina, estimula a busca por objetivos, elimina a preguiça, exercita a independência, o relacionamento em grupo, dentre outros.

A adolescência é um momento de mudanças no corpo, pois há uma grande concentração de hormônios, e as atividades físicas ajudam a enfrentar de um jeito mais agradável estes efeitos psicossociais, e ao gastar mais energia, o corpo e o psicológico tendem a ficar mais equilibrados. Também é durante a adolescência que o apetite aumenta é muito comum ouvir comentários de que eles comem demais, principalmente os garotos, por isso é fundamental manter uma atividade física regular, para evitar a obesidade. Outro ponto a ser comentado é a ajuda que o esporte oferece, para que os jovens se afastem de possíveis vícios, como o álcool e drogas.

A musculação na adolescência é um tema difícil a se tratar, muitos dizem que não é recomendado, pois atrapalha no crescimento e desenvolvimento do corpo, mas não há comprovação desse fato. Porém, o que é totalmente inadequado, é fazer musulação trabalhando com carga máxima, pois desse forma é possível atrofiar ou atrapalhar o desenvolvimento dos músculos. O ideal é visar apenas a resistência muscular, e não a força, fazendo um programa que intercale exercícios aeróbicos e anaeróbicos com cargas mais leves.

Atividades Físicas para Adultos 

Na faixa etária de 20 a 30 anos, não há restrição de exercícios, o corpo já se desenvolveu ao máximo e ainda permite muito esforço. A atenção precisa ser focada na postura, para que não tenha problemas. Por ser uma fase onde as responsabilidades são muito maiores, o tempo é curto, então é necessário achar uma atividade que dê prazer e encaixá-la na agenda.

A partir dos 30 anos a preocupação com a saúde e com a estética aumenta, pois as respostas metabólicas e fisiológicas não são mais as mesmas, ficam lentas, e as “marcas do tempo” começam a aparecer. É comum ouvir queixas de mulheres que a partir dos 30 anos, possuem mais dificuldade para emagrecer, diferente de antes, que rapidamente perdiam peso. Durante esse período também não há restrições de exercícios, mas a musculação é ainda mais indicada, pois ajuda nos resultados estéticos, na articulação e fortalece o corpo.

Com 40 anos ou mais, começam a aparecer algumas restrições, e de acordo com essas retsrições, é necessário que o programa seja feito de uma forma mais específica e com acompanhamento. Os exercícios aeróbicos precisam ser mais intensos do que a musculação, pois o peso corporal tende a aumentar pela grande dificuldade de emagrecer e o coração precisa ganhar ainda mais resistência.

A partir do 50 anos algumas dificuldades já são visíveis e determinadas patologias já se manifestaram. Mas a atividade física é uma obrigação ainda maior nessa fase por causa da diminuição de massa óssea, vulnerabilidade aos problemas cardíacos, aumento da gordura corporal, a piora na postura, entre outros fatores.

Atividades Físicas para Idosos

As atividades físicas aumentam a expectativa e a qualidade de vida dos idosos, melhora a auto-estima, disposição, autoconfiança, memória, independência, etc. Porém, o cuidado precisa ser redobrado, pois já existem muitas limitações, as articulaçãoes e a agilidade não são mais as mesmas, a disposição é menor, o cansaço e as dores estão mais presentes, o metabolismo basal está mais reduzido, aumento dos problemas cardiovasculares como o aparecimento de doenças cardíacas, pressão arterial elevada, normalmente, concentração de gordura no tronco e abdômen, e outras diversas restrições.

Mas nada disso, a não ser determinadas limitações físicas, impedem o idoso de se exercitar. Pelo contrário, precisam ser um estímulo para melhorar a saúde, pois as atividades físicas diminuem o risco de diversas doenças, incapacidades, melhora a mobilidade, aumenta o nível de energia, ausência de dores, além de auxiliar na minimização das alterações biológicas do envelhecimento.

Há idosos que pela grande dedicação aos esportes durante a vida inteira, chegam à “melhor idade” com disposição e boas condições físicas, pois o envelhecimento cronológico não acompanha o envelhecimento fisiológico no mesmo ritmo. Mas há também os que perdem grande resistência e precisam começar do zero. Os exercícios mais indicados são a caminhadas, aulas de alongamento, hidroginástica e musculação (pesos leves, sequências curtas).

Mas independente da atividade, é fundamental ir ao médico, fazer uma avaliação física, todos os exames necessários, e escolher atividades de acordo com as limitações e com o que for indicado. Em academias, os idosos tem uma atenção especial, os treinadores verificam a pressão antes, durante e depois do programa, acompanham, e auxiliam em todos os exercícios.

http://atividades-fisicas.info/atividades-fisicas-para-cada-idade.html

Os riscos da falta de exercícios físicos

Segundo dados da OMS, 70% da população mundial é sedentária

  • A falta de exercício pode ser um fator de risco tão grave para o coração quanto hipertensão, diabetes, tabagismo, colesterol alto ou obesidade e, se associado a estes, pior ainda.
 Para se ter uma idéia, de acordo com os dados da Organização Mundial da Saúde, 70% da população mundial é sedentária.

E a falta de atividade física, somada a uma alimentação não-balanceada, é responsável por 54% do número de mortes por infarto. Já um estilo de vida ativo pode ajudar a reduzir o risco de morte em até 40%.

“Isso porque a atividade física ajuda a baixar os níveis de colesterol e de glicose no sangue, além de auxiliar no controle da pressão arterial e melhorar a capacidade respiratória”, ensina o chefe da Cardiologia do Hospital Cardiológico Costantini, Marcos Bubna. “São atividades simples, como caminhada, corrida, natação ou andar de bicicleta, que podem salvar muitas vidas”, completa.

O ideal, segundo os parâmetros da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), é praticar uma atividade aeróbica pelo menos quatro dias por semana, com um mínimo de 40 minutos de duração, que podem ser divididos em dois ou três períodos diários.

De acordo com o especialista, antes de iniciar seu programa de atividade física é muito importante um bom check-up do coração, um eletrocardiograma, o teste de esforço e a consulta com um cardiologista. Esses cuidados podem dar muito mais segurança ao exercício e para prevenção cardíaca.

A Associação Brasileira de Qualidade de Vida avalia, inclusive, que os executivos que se exercitam tendem a render mais no trabalho. Tanto, que algumas empresas chegam a adotar programas de incentivo para combater o sedentarismo, como, por exemplo, adotar as escadas no lugar do elevador para subir.

Veja algumas dicas simples para deixar o sedentarismo de lado:

* Adotar quatro dias na semana para fazer uma caminhada. Além dos benefícios para o coração, a prática ajuda no bem-estar.

* Preferir as escadas ao invés do elevador.

* Estacionar o carro em um local um pouco mais distante do destino.

* Dispensar a escada rolante nos shoppings.

* Levantar para falar com o colega, ao invés de chamá-lo pelo telefone ou pelo computador.

http://www.tribunapr.com.br/arquivo/vida-saude/os-riscos-da-falta-de-exercicios-fisicos/

  • Retornamos a roda de conversa onde procurei reforçar  e destacar a diferença entre exercícios físicos e atividades físicas
  • Preocupações surgiram e eu mencionei aos alunos que tinha uma ideia. Falei aos alunos que quando aprendemos algo de bom o ideal é compartilhar com as outras pessoas, principalmente com as pessoas que amamos. E perguntei: Como vocês acham que podem incentivar seus pais a prática de atividades físicas? Neste momento, muitos deram sugestões, vou citar algumas:
    • “Falar para os pais os riscos de não fazer exercícios.”
    • “Falar para os pais se exercitarem.”
    • “Levar os textos para os pais lerem em casa.”

     Avaliamos todas as sugestões dadas e os alunos concluíram que ao ler os textos os pais iriam perceber mais a importância das atividades físicas.

    • Organizei o material para que os alunos levassem os textos para ler com os seus pais e como tarefa de casa a família deveria pesquisar lugares, perto de casa, que seja possível a prática de atividades físicas. Nesta tarefa recomendei aos alunos, anotarem o endereço, descreverem o local e se possível fotografar. Mencionei que o objetivo seria montar um guia de locais bacanas, próximos de casa que possibilitasse a prática diária de atividades físicas. Os alunos ficaram animados com a tarefa e recebi fotos de praças com equipamentos, campos de futebol, ruas planas utilizadas para caminhada. 
    • Com o material (fotos e endereços de locais legais para a prática de atividades físicas) organizei os alunos na montagem de um guia que tivesse como finalidade incentivar os pais na pratica de atividades físicas.
    • Junto com o guia os pais levaram uma ficha para registrar sua experiência com a utilização do guia semelhante ao modelo do Projeto.

Objetivos

Objetivos:

  • Perceber a diferença existente na prática de atividades físicas e exercícios físicos;
  • Propiciar a descoberta dos benefícios da prática de atividades físicas;
  • Envolver a família nas atividades escolares;
  • Compartilhar saberes com as pessoas que amamos, melhorando assim a comunicação entre os membros da família;
  • Incentivar a prática diária de atividades físicas;

Avaliação

Avaliação

     Durante este projeto os alunos e seus pais, receberam diversas informações sobre a importância da prática diária de atividades físicas para ter uma boa saúde. Mediante depoimentos e relatos de mudanças de hábitos realizarei a avaliação.

      Os registros dos pais na ficha de atividades também servirão de avaliação do Projeto.

 

Quem Participou

Quem participou:

 

  • Todos os alunos do 5º ano A, tiveram a oportunidade de participar deste Projeto;
  • Todos os familiares dos alunos do 5º ano A

 

Conexões

Conexões...

Peguei o gancho do Projeto Prato do dia, que havia de ter realizado e fiz as conexões com o componente curricular de Ciências, no primeiro projeto vimos a importância de se alimentar bem e neste entramos no capítulo 9 do livro: Àpis 5º ano. O título do capítulo é: Nosso estilo de vida; Nossa saúde. Realizamos as seguintes atividades:

  • Levantamento prévio do que os alunos já sabiam e do que querem aprender;
  • Atividade prática (decidir o que irão medir: tamanho ou cintura, medir, fazer um gráfico);
  • Exercícios abordando o tema: Hábitos, atitudes e saúde;
  • Exercícios abordando o tema: Lanchinho + telinha = obesidade;
  • Exercícios de revisão

Desdobramentos

Desdobramento ...

Depois das leituras que realizamos os alunos chegaram a conclusão que eles também precisavam praticar atividades físicas diariamente. Eu concordei com eles e questionei-os a como iríamos incluir atividades físicas na nossa rotina. As sugestões foram:

  • “Assim que a gente chega na escola.”
  • “Depois do recreio.”
  • “Na última aula.”
  • “Assim que a gente termina a lição.”

Avaliei todas as sugestões feitas e começamos a discutir as possibilidades. Ajudei os alunos chegarem na conclusão que fazer atividades físicas assim que chegamos na escola iria deixá-los agitados, suados e cansados para fazerem as tarefas escolares. Depois do recreio as funcionárias da escola lavam o pátio, então eliminamos a 2ª sugestão. Começamos a avaliar a possibilidade da 3º sugestão: Na última aula. Decidimos que essa era a melhor opção, visto que alguns alunos saem 20 minutos mais cedo devido ao trabalho dos condutores das peruas escolares e a aula é interrompida porque não é possível mais fazer nenhum exercício novo visto que alguns alunos já foram embora, mas logo um dos alunos que sai mais cedo questionou: Então, eu nunca vou fazer atividade física? Chegamos a conclusão que isso não era justo e decidimos unir a sugestão 3 com a 4, assim todos participariam. E ficou assim: Na 6ªaula, assim que todos terminassem as lições, iríamos afastar as mesas e cadeiras, para dançar, brincar (vivo- morto e outras brincadeiras que estamos organizando).

Até agora esta tudo ocorrendo muito bem.... os alunos estão animados.

Alegrias

Alegrias ... 

    Ver a conscientização por parte dos alunos,  foi de grande alegria, uma vez porque o projeto só aconteceu porque eles perceberam a importância das atividades físicas para todas as pessoas, principalmente os adultos.

       Uma aluna me relatou que a mãe chamou uma vizinha para caminhar na parte da manhã, e agora ela caminham todos os dias.

       Outro aluno me contou que o pai começou a fazer caminhada no final de semana, não faz todos os dias devido o horário de trabalho que não favorece.

       Receber algumas fichas preenchidas com a avaliação dos pais, também foi muito positivo.  

Nem Tudo São Flores

O que poderia ter sido melhor ...

Nem todos os pais de alunos entraram no clima de fazer atividades físicas, eles realizaram as leitura, sei disso porque seus filhos me relataram, mas não foram motivados a agir. Acredito que com ele o processo deveria ser mais lento... lerem mais e terem mais tempo para começarem participar em alguma atividade física de sua preferência.

Expectativas

Expectativas ...

A minha expectativa inicial era se os textos e as rodas de conversas iram levar os alunos a se interessarem pelo assunto aponto de contarem para os seus pais o que estavam aprendendo, mas isso aconteceu e foi muito bom. Infelizmente, a gente nunca consegue motivar todos mas foi positivo os relatos e participação da maioria.

Revisão

 O que eu faria diferente  ...

      Para entrega o guia e a ficha de informações aos pais eu iria organizar uma apresentação, com os alunos falando algumas informações com o auxilio do dada-show (slids) e também treinaria os alunos umas duas danças para mostrar aos pais que é possível de movimentar e se divertir. Cada aluno entregaria o guia de atividades físicas para seus pais, acho que assim chamaria mais atenção deles para a importância  de se fazer atividades físicas diariamente.